#PraCegoVer: marcas de mãos nas cores vermelha, laranja, roxa, azul e verde, uma ao lado da outra, formando um círculo.

O Jornal Estado de Minas publicou, nesta semana, uma matéria que revela que empregadores ainda dão poucas chances aos talentos LGBT. Essa afirmação tem como base o relatório divulgado pela PwC, empresa signatária do Fórum. A pesquisa Out to succeed: realising the full potential of your LGBT talent, lançada em parceria com a Out Leadership, mostra uma lacuna entre o que os funcionários LGBT esperam de suas carreiras e o que os empregadores oferecem.

Na reportagem, Ana Malvestio, sócia da PwC Brasil e líder de diversidade e inclusão, diz que manter iniciativas de D&I é ponto fundamental para atrair, reter talentos LGBT e ampliar a representatividade desse segmento no mercado de trabalho.

Reinaldo Bulgarelli, Secretário Executivo do Fórum de Empresas e Direitos LGBT+, compreende que o ambiente corporativo tem avançado bem, mas não em quantidade. “Não é número, mas, neste primeiro momento, existe a quebra de paradigmas. No Brasil, enfim, já estamos empregando”, complementa.

Como bom exemplo, a matéria aponta a Ambev, também signatária do Fórum de Empresas e Direitos LGBT+. O compromisso é abraçado e refletido pelas marcas, que trabalham para combater a homofobia, o machismo e a objetificação da mulher no universo cervejeiro. Para isso, eles possuem grupos de afinidade que se reúnem com frequência para discutir as melhores práticas em ações de inclusão no local de trabalho para que as pessoas se sintam mais à vontade para ser elas mesmas.

Para ver a matéria completa do Jornal Estado de Minas, clique aqui.

Publicado em: 03/07/2018

SiteLock

Acessibilidade