Meu nome é Giovanna Garcia, tenho 24 anos e atualmente sou gerente de contas na Microsoft.

#ParaCegoVer: Foto mostra Giovanna posando para foto ao lado de letreiro da Microsoft. Ela está do lado esquerdo do logo da empresa (um quadrado formado por quatro quadrados nas cores vermelho, verde, amarelo e azul).

Entrei na empresa como estagiária de marketing em 2013, me formei e fui contratada como Gerente de Marketing de Parcerias no começo de 2015. Em agosto de 2016, assumi um novo desafio na área de vendas como Gerente de Contas. Ano passado ajudei a fundar o capítulo Brasil do GLEAM (Gays, Lesbians, Bisexuals and Transgenders Employees at Microsoft), o pilar responsável por promover a inclusão dos funcionários LGBTQ+ e criar iniciativas para educar e conscientizar tanto o público interno quanto à sociedade como um todo.

Sempre me interessei por iniciativas e projetos ligados à promoção dos direitos humanos, principalmente aos direitos da população LGBTQ+, pois além de ser um tema que me afeta pessoalmente, acredito que diversidade e inovação andam juntas e que somos mais fortes quando temos espaço para criar e colaborar de forma autêntica.
Na época em que entrei na Microsoft, eu já havia assumido a minha orientação sexual para meus amigos e colegas da faculdade, portanto, resolvi não me esconder no ambiente de trabalho. No início, só abordava o assunto com determinadas pessoas e em situações específicas, porém, com o passar do tempo, senti mais confiança e abertura para falar do tema com mais naturalidade. Neste mesmo período, com a entrada do Satya Nadella como CEO da Microsoft, a companhia deu grandes passos voltados para empoderar seus funcionários e celebrar a diversidade. No Brasil, algum tempo depois, Paula Bellizia assumiu a liderança da subsidiária brasileira e focou ainda mais em promover e disseminar a cultura de inclusão e diversidade na empresa. Todas estas mudanças positivas contribuíram para que eu me sentisse segura para me abrir cada vez mais no ambiente corporativo.

A Microsoft já havia estruturado alguns grupos específicos para tratar diversidade e inclusão, como Mulheres na Tecnologia e Blacks at Microsoft, porém ainda não tínhamos um capítulo local do GLEAM. Assim, em fevereiro de 2016, um pequeno grupo se juntou e oficialmente inauguramos o pilar LGBTQ+ na Microsoft Brasil. O grupo tem como objetivo promover ações para conscientizar os funcionários sobre a agenda LGBTQ+, além de contribuir para o fomento da diversidade e inclusão desta parcela da população na sociedade.

Atualmente, o GLEAM Brasil conta com aproximadamente 40 funcionários e faz parte de uma rede global de mais de 3.000 funcionários. Já realizamos diversas atividades internas como palestras e eventos, bem como participamos de iniciativas de mercado como o Out & Equal Forum, Reaching Out Brazil e Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.
Pessoalmente, após a oficialização do GLEAM Brasil, além de me sentir mais encorajada para realmente ser quem sou e falar abertamente sobre a minha vida no ambiente de trabalho, assumi uma postura mais ativa de defender e advogar pela agenda LGBTQ+, ajudando a empoderar outros funcionários que passam por situações parecidas e colaborando para a conscientização das pessoas como um todo.

No meu ponto de vista, as empresas preparadas para o futuro vivem no dia a dia seus valores e suas crenças. São empresas que se posicionam a favor do que acreditam e investem em recursos para ajudar a criar um mundo melhor.
Me sinto em casa na Microsoft e sou muito feliz em fazer parte de uma empresa que compartilha dos mesmos valores que eu.

SiteLock

Acessibilidade