• Keka Barbosa

Mês da Visibilidade Trans 2022

Atualizado: 31 de jan.

Seis sugestões práticas para estimular o engajamento de profissionais e empresas sobre o tema.

O Fórum preparou seis sugestões práticas para estimular o engajamento de profissionais e empresas na promoção dos direitos humanos de pessoas trans. É um convite para que janeiro seja numa boa oportunidade de avanço no tema no ambiente de negócios e na sociedade.

Divulgação | Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+


O Dia Nacional da Visibilidade Trans acontece em 29 de janeiro para nos lembrar das conquistas realizadas, denunciar a violação de direitos humanos e pensar o que podemos fazer para avançarmos no enfrentamento dos desafios que pessoas trans enfrentam.

Para o mundo empresarial, era raro ver uma pessoa trans trabalhando nas grandes empresas, mas o início dos anos 2010 anunciou uma mudança de postura. A criação do Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+ aconteceu junto com o TransEmpregos e as duas organizações logo se tornaram parceiras.


Juntas, as duas organizações conseguiram pautar o tema da inclusão de pessoas trans na agenda das empresas, ganhamos espaço na mídia, acolhemos uma das reivindicações antigas do movimento trans no Brasil de garantir emprego e renda para o segmento.


Foi uma década de mudanças intensas no país e no mundo em relação à questão da diversidade sexual, visibilidade para pessoas trans – transexuais, travestis e não bináries, a questão queer e às muitas possibilidades da diversidade humana.


Empresas são parte do problema ao gerar exclusão nas suas práticas de gestão, relacionamentos com seus diferentes públicos e posturas de indiferença ou omissão.

É também por meio de posturas e práticas respeitosas, inclusivas e que promovem direitos humanos de pessoas trans em tudo que fazem, que as empresas podem ser parte da solução e participar ativamente no enfrentamento da desigualdade e na erradicação da violência que afeta pessoas trans por serem pessoas trans.


Se há uma coisa que empresas sabem fazer é, enfrentar desafios, realizar aprendizados, mudar, se adaptar e aprimorar suas práticas diante de novas questões e um novo contexto para seus negócios. A inclusão de pessoas trans na empresa traz desafios e soluções, conexão com pessoas, temas e realidades que fazem a diferença para todas as pessoas, os negócios e a sociedade. Aja a favor da inclusão de pessoas trans e promova seus direitos na sociedade!


 

1. CONTRATE PESSOAS TRANS


Se uma pessoa trans se candidatar a uma vaga na empresa, acolha, não elimine, não discrimine (é crime!). Confie nas suas pessoas e nos princípios/valores da organização, bem como na contribuição da própria pessoa trans para as transformações positivas que devem acontecer para sua organização ser mais respeitosa, segura e inclusiva.

 

2. APOIE PESSOAS TRANS


Se alguém na empresa disser que está buscando adequação à sua identidade de gênero, apoie, acolha e não discrimine. É uma pessoa da empresa como todas as outras e sua questão deve gerar aprendizados e aprimoramento de posturas, processos e estruturas, não a exclusão.

 

3. BUSQUE PESSOAS TRANS


Realize ações afirmativas sinalizando que a empresa tem portas abertas para pessoas trans. Diversifique fontes de recrutamento e seleção. Conheça o TransEmpregos. Invista no desenvolvimento profissional de pessoas trans. Olhe com atenção especial as pessoas trans que se aproximam da empresa em busca de vagas.

 

4. ACOLHA PESSOAS TRANS


Realize diálogos, treinamentos, adequações nos sistemas, processos, estruturas físicas, regras gerais da empresa e tudo que possa expressar postura inclusiva para termos uma empresa melhor. Enfrente possíveis conflitos orientando-se pelos princípios, valores e o Código de Conduta da empresa.

 

5. COMPRE PRODUTOS E SERVIÇOS

DE PESSOAS TRANS


O sistema de compras pode valorizar e promover diversidade e inclusão por meio do cadastro de empresas de pessoas trans. Conheça a Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil e as iniciativas do Fórum e suas signatárias. Para atividades de educação e outros serviços, contrate pessoas trans.


 

5. APOIE ORGANIZAÇÕES

DE ATENÇÃO AOS DIREITOS DE PESSOAS TRANS


Conheça as organizações de sua cidade, o conselho municipal LGBTI+ e abrigos que acolhem pessoas trans, entre outras organizações que atuam no tema. Fortaleça essas organizações, apoie com recursos financeiros, materiais, voluntariado, entre outras possibilidades.


Para acessar o PDF do material na íntegra, clique aqui.
247 visualizações0 comentário