#PraCegoVer: A imagem mostra um cartaz da campanha da UNAIDS. À esquerda, uma foto mostra um escritório com paredes brancas. Ao fundo, temos uma mesa com um vaso em cima com flores brancas. À direita, o texto: “Você ainda daria um emprego a ele se ele fosse uma pessoa vivendo com HIV? Todo mundo tem o direito ao trabalho. Recusar um emprego por causa do estado sorológico positivo para HIV é discriminação”

O Dia Mundial de Zero Discriminação, celebrado globalmente no dia 1º de março, é uma oportunidade para destacar como todas as pessoas podem fazer parte da transformação e se posicionar em favor de uma sociedade mais justa.

Muitas vezes, a discriminação está baseada em informações errôneas ou medo do desconhecido. Ao olhar para situações cotidianas, a campanha Zero Discriminação 2018 convida as pessoas a reconhecer onde a discriminação está ocorrendo e a agir para detê-la.

A campanha destaca situações cotidianas onde a discriminação ocorre. Ela convida as pessoas a se perguntarem “e se …” e a refletirem sobre suas próprias atitudes e comportamentos:

  • E se a pessoa que serve seu café fosse um refugiado? Você retornaria ao café?
  • E se a pessoa de quem você compra suas verduras e legumes vivesse com HIV? Você compraria esses alimentos dela novamente?
  • E se o seu vizinho tivesse tuberculose? Você pararia para conversar com ele?
  • E se o amigo do seu filho vivesse com HIV? Você os deixaria brincar juntos?
  • E se sua vizinha tivesse uma religião diferente da sua? Você ainda a receberia em sua casa?
  • E se o seu colega fosse gay? Você ainda trabalharia com ele?

Para saber mais sobre a campanha da UNAIDS, clique aqui. No site também há um quizz que desafia as pessoas a se informar sobre discriminação e a compartilhar com amigos e familiares nas redes sociais.

Publicado em: 01/03/2018

SiteLock

Acessibilidade